Cantigas

segunda-feira, 19 de março de 2012

Ele e Eu...


Sua brancura irrompe na minha existência.
A Sua vitalidade clara e límpida se instaura naquilo que é mais visível.
Eu vivo ele na pele que transluz a guerreira certeza de prosseguir.

Quando os arrepios se revelam naqueles que o sentem em mim, minha brancura existencial revela o mais negro de mim.
Um Africano do Norte, mouro/black/baiano que aparece naquilo que me é mais profundo.

Me exalta ver que ele é visto por sobre meu andar.
Eu, um noturno caçador de esperanças, trago a mão de pilão dele.

Alimento e Luta!
Rei e Menino!
Pai e Filho!
O seu Santo Espírito paira e clareia.

Manhãs e Tardes nas minhas noites eternas e desejadas!

Eu e Ele.
Orixá Nlá!
Orixá Oguiã!

Exê Ê!

Nenhum comentário:

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Total de visualizações de página