Cantigas

sábado, 11 de outubro de 2014

Coisas da cidadania




É interessante o quanto podemos crescer na adversidade (como muito bem fala uma amiga com quem aprendo tanto).
O primeiro turno das eleições aconteceu.
O país e os estados da Federação fizeram suas escolhas e alguns mandatos já estão definidos.
Ideias são enunciadas em frases, orações e brados.
Não sou sociólogo francês, mas por vezes é interessante a busca da clareza.
Vamos a ela.
Falo por metáforas e figuras linguísticas desde que me entendo.
O costume da escrita me é familiar.
Desde que dominei o código da língua brasileira que é hábito me comunicar através dela.
Observei os movimentos eleitorais inspirado pelo arquétipo da coruja... Olhos e ouvidos atentos e silencioso.
Ontem me pronunciei muito. Coisas da cidadania...
Nessas idas e vindas, tive uma observação interessante, feita à guisa das discordâncias e/ou diferenças de olhares políticos de que meu discurso parecia influenciado pela fala de Marina...
De fato, percebi durante a campanha que a candidata Marina Silva falou algumas vezes por viés semelhante ao que apresento em algumas de minhas abordagens.
"Isto é bom que dói", parabolizando com o samba ancestral de Xisto Bahia!
De fato e também, observando a conjuntura atual da política neste país e no estado em que moro, sabia que Dilma Roussef e a referida candidata acreana seriam minhas possíveis opções para voto. 
Dilma me interessa por que reconheço a continuidade de um projeto social que tem agido historicamente de maneira positiva na minha percepção. Meu olhar passa também pela consciência plena dos problemas que envolveram as gestões recentes, e a criticidade comparece em meus posicionamentos como Artista e como Educador. 
Marina Silva me chama atenção há algum tempo como possibilidade de outra via, em que matizes diversos do projeto petista aparecem com nuances mais afins também ao meu modo de ver o mundo. 
A fé e o ponto de vista mais holístico que o discurso dela parece apontar me chamaram a sensibilidade e a razão (indissociáveis entre si, em mim) para olhar com mais atenção sua trajetória. Embora ela seja de uma denominação religiosa diferente das que eu professo e creio nesta existência minha, sua presença e o depoimento de pessoas próximas que respeito muito acabaram por me ajudar a construir esta personagem como possível para o teatro político no Brasil hoje. 
Traduzo pensamentos em construções com ares de poética discursiva. Gosto de fazer assim.
A fala através de metáforas é uma aquisição da Língua. Qualquer figura de linguagem utilizada sugere uma realidade concreta. 
A que coloco objetivamente é aquela relativa ao Bem Comum. 
É exatamente a favor do Bem (enquanto instância superior às querelas e veleidades intelectuais/partidárias) que me expresso agora. 
A Bahia possui um novo governante levado ao cargo por voto direto e em primeiro turno. Acredito que é importante para uma coletividade que o desejo seja direcionado no sentido do êxito para o Governador eleito. Nasci na Bahia, vivo na Bahia e compartilho disso com milhões de pessoas que votaram e não votaram em Rui Costa. Espero que sua gestão possa equacionar interesses numa medida em que o sujeito comum possa ter direitos garantidos e melhorias cotidianas. 
Votei em Marina Silva para presidente. 
Dei ao Caminho a possibilidade de me ver representado por uma figura que me sintonizou a uma ideia minha de singularidade. 
Posso ter escolhido certo ou errado... Ninguém pode definir. 
Digo com clareza e firmeza: NINGUÉM. 
Votarei em Dilma Roussef para Presidente neste Segundo Turno. 
Acredito que seja a opção que mais representa o que sinto como possível em se tratando de contexto político. 
Tenho aprendido com o tempo que as melhores decisões são aquelas que passam pela tonalidade azulada da temperança. 
Meus tempos e ações rubras de tantas situações me mostraram isso. 
É a transição do Ar de Iansã para o Ar de Oxalá em minha caminhada. 
O arco de Odé sustenta minhas convicções sob a Força das águas de Oxum. 
E no coração, sempre a guiar, Nossa Senhora segura e orienta meu viver.
É isso. 
Talvez por agir no mundo a partir de tantas referências complexas eu só consiga enxergar as coisas a partir deste signo - o complexo. 
Ao final, é bom que se diga, a clareza aparece como resultado da profundidade. 
A propósito, somente para não deixar de dizer, lá no fundo mesmo, penso que há muito mais que desacordos políticos em rejeições tão inflamadas ao PT, Marinas e Dilmas... 
Acho que é o caminho perdido em direção à sensatez... 
Que Deus nos guarde!

Nenhum comentário:

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Total de visualizações de página